Biografia

Pintor e desenhista, nascido no Rio de Janeiro em 1951, diplomado da Escola Nacional de Belas Artes da U.F.R.J. em 1977, Fernando Barata está instalado em Paris desde 1982, aonde vive e trabalha. Em 1974 ele participa ao XXV Salão Nacional de Arte Moderna do Rio de Janeiro, e em 1976 a Bienal Nacional de São Paulo. Em 1984 obtém uma Menção Especial do Júri na primeira Bienal de La Havana e participa no ano seguinte a XVII Bienal Internacional de São Paulo.

Após os anos 80, Fernando Barata expõe individualmente e coletivamente sobretudo na França, Bélgica e Luxemburgo.
Em 1990 realisa um mural em Douai, França, para a Agência de Águas de Artois Picardie. Selecionado para o prêmio Fortabat ( Casa da América Latina, Paris) seu trabalho foi igualmente premiado no Grande Prêmio Internacional de Arte Contemporânea Michelin em 1998.
Entre 2009 e 2015, Barata faz uma série de viagens através da França, e realiza vários blocos de aquarelas e desenhos inspirados pelos lugares de passagem dos artistas impressionistas e modernos : Biarritz, Bordeaux,Nice, Marseille, Cassis, Nîmes, Vallauris, Saint-Paul de Vence, Avignon,Aix-en-Provence et Albi entre outros. Uma seleção destas aquarelas foi exposta na Galeria Covart, Luxemburgo em 2010 e no Atelier 21, Meudon em 2014.
Paralelamente a estas viagens na França, Barata continua a sua exploração do mundo : Tunísia, Creta, Ilha da Reunião, México, República Dominicana e outras cidades como Lisboa, Dubrovnik, N.Y. ou Praga.
Transformando a viagem em uma obra, estes deslocamentos renovaram a percepção que o artista tinha do mundo e do Outro. Esta mudança de abordagem provoca uma modificação no aspecto formal do seu trabalho: ampliação da iconografia, renovação do vocabulário formal e cromático e descoberta de novos processos de criação.
Em 2014, seu périplo pela Índia abre uma nova fase de criação, fechando assim o parêntese do nomadismo. É o início de uma série de obras utilizando sacos de juta usados no transporte de café, que serão expostos em 2016 na Galeria Marie-Laure de L'Ecotais em Paris. Duas de suas obras foram incorporadas recentemente na coleção da Embaixada do Brasil na França.