Biografia

Pintor, desenhista e artista digital nascido no Rio de Janeiro em 1951, diplomado da Escola Nacional de Belas Artes da U.F.R.J. em 1977, Fernando Barata mora em Paris desde 1982, aonde vive e trabalha. Em 1974 ele participa ao XXVº Salão Nacional de Arte Moderna do Rio de Janeiro, e  da Bienal Nacional de São Paulo em 1976. Em 1984 obtém uma Menção Especial do Júri na 1ª Bienal de Havana e participa no ano seguinte da XVIIª Bienal Internacional de São Paulo.

Em 1990 realisa um mural em Douai, França, para a Compania de Águas de Artois-Picardie. Selecionado para o prêmio Fortabat ( Casa da América Latina, Paris) seu trabalho foi igualmente premiado no Grande Prêmio Internacional de Arte Contemporânea Michelin em 1998. Após os anos 80, Fernando Barata tem exposto individualmente e coletivamente sobretudo na França , Bélgica e Luxemburgo.

Com o aparecimento dos computadores pessoais e programas de tratamento de imagens a partir dos anos 90, Barata inicia uma série de experiências utilizando estas novas ferramentas como complemento da pintura. Suas primeiras exposições de gravuras digitais datam de 1998 na Galeria Quadra, Paris.

Entre 2009 e 2015, Barata realiza várias viagens através da França, que resultarão em uma série de aquarelas e desenhos retratando lugares percorridos pelos artistas impressionistas e modernos : Biarritz, Bordeaux,Nice, Marseille, Cassis, Nîmes, Vallauris, Saint-Paul de Vence, Avignon, Aix-en-Provence et Albi entre outros. Uma seleção destas aquarelas foi exposta na Galeria Covart, Luxemburgo em 2010 e no Atelier 21, Paris em 2014.

Em paralelo a estas viagens na França, Barata continua a sua exploração do mundo : Tunísia, Creta, Ilha da Reunião, México, República Dominicana e cidades como Lisboa, Nova Deli, Dubrovnik, New York São Francisco ou Praga. O bloco de aquarela passa a ser o material mais adequado durante este período de observação nomade, por sua facilidade de transporte e utilização.

Em 2014, após uma viagem à Índia, Barata realiza uma série de obras sobre sacos de juta que serão expostos em 2016 na Galeria Marie-Laure de l'Ecotais em Paris. Duas destas obras serão incorporadas recentemente na coleção da Embaixada do Brasil na França.

A partir de 2017 e o lançamento do iPad Pro e da caneta Apple, juntamente com certas aplicações revolucionárias de desenho tátil, Barata substituiu naturalmente o bloco de aquarela pela tablete numérica, com a qual tem trabalhado exclusivamente desde esta época. A exposição na Galeria São Paulo Flutuante em 2019, reúne a sua produção mais importante realizada entre 2017 e 2019.